Ontem, hoje e amanhã!

Retratos do dia a dia!

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Doce Melodia





Numa tarde de sol em que tudo convidava ao passeio, agarrei num livro e fiz-me ao caminho. Depressa cheguei ao jardim, aquele onde em tempos me declaraste o teu amor.
Sentei-me num dos bancos semi-sol, semi-sombra, pois nesta época do ano, o sol e o frio de mãos dadas, são propícios a constipações.
Respirei o pouco ar puro que ainda se alcança, num jardim perfumado pelo aroma das várias flores ali existentes.
Recostei-me no banco, ainda de madeira, como outrora e segurei o livro abrindo-o, para começar a leitura.
Eis senão quando, da árvore frondosa que dava sombra ao banco onde estava sentada, surge um chilrear, num cântico mágico de doçura. Olhei para cima. Aninhados no carinho dos pais, dois biquitos surgiam ansiosos pelo rico manjar, que a mãe pintassilgo, tinha ido buscar.
Aconcheguei-me no banco de madeira e ao som de uma melodiosa chilreada familiar, abri o livro e deliciada, li.

1 comentário:

  1. Muito bem, leitura simples e agradável, virei ler mais, fiquei com a sensação de que queria saber mais e não contáste.

    beijos
    é de continuar.

    ResponderEliminar