Ontem, hoje e amanhã!

Retratos do dia a dia!

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Acordei


Acordei. Espreguicei-me ao longo da cama e senti-me confortável por entre o calor dos lençóis. Resolvi ficar mais um pouco.
A chuva caia em cadência sobre o telhado. As andorinhas chilreavam no seu voo ritmado tentando fugir à chuva.
Lembrei-me do ninho de andorinha que ontem encontrei sobre uma lâmpada que tenho no quintal.
Que lindo. Com que carinho ele foi construído. A cada pedacinho um pedacinho de amor. E o medo do homem destruidor, de lares, de famílias, de ternura entre pais e filhos. Destruidor do próprio mundo.
Sempre que me aproximo, ou apenas abro a porta, a andorinha assustada foge do seu ninho, regressando logo de imediato para guardá-lo. É lindo ver esta ternura de mãe.
Como é bela a natureza.
Como tudo é perfeito e harmonioso.
Agradeço a Deus este momento de felicidade interior contemplando a beleza exterior.